Loading...

sexta-feira, 9 de abril de 2010

O ESPIRITO SANTO EM CADA CAPITULO DE ATOS

MUITOS TEM JESUS CRISTO APENAS COMO SALVADOR, AQUELE QUE PODE SALVA-LOS DE SITUAÇÕES DIFÍCEIS E DAS ADVERSIDADES DA VIDA, ESSES SERIAM OS CHAMADOS, MAS POUCOS O TEM COMO SENHOR DE SUAS VIDAS, ESSES SERIAM OS ESCOLHIDOS.

SEJA VOCE TAMBÉM UM ESCOLHIDO DE DEUS, E NÃO APENAS UM CHAMADO.(MATTITYAHU 22.14) (MT). E QUE O DEUS DE AVRAHAN (GEN.22.18), YA'AKOV (NUM.24.17), Y'HUDAH (GEN.49.10), YISHAI 'Jessé' (IS.11.1), DAVID (2SAM.7.13) E YESHUA, O MESSIAS (CHRISTOS gr) (MASHIACH hb), O UNGIDO, TE GUARDE EM TODA SUA CAMINHADA.

ATOS 1. O Espirito Santo transforma a forma como ouvimos. Eles ouviram e acreditaram. "...determinou-lhes que não se ausentassem de Jerusalém, mas que esperassem a promessa do Pai, que de mim ouviste" At.1.4. O Espirito Santo abre nossos ouvidos, para que possamos ouvir e entender sua voz.

ATOS 2. O Espirito Santo transforma a forma como nós falamos. "Todos foram cheios do Espirito Santo e começaram a falar em linguas, conforme o Espirito Santo lhes concedia que falassem" Atos 2.4. O Espirito Santo cuida da nossa voz, Ele ajuda-nos a policiar aquilo que falamos.

ATOS 3. O Espirito Santo transforma a nossa aparencia. "E Pedro, com João fitando os olhos nele disse: "Olha para nós..." At.3.4. O que poderíamos oferecer se não fosse pelo poder glorioso do Espirito Santo? Ele ensina-nos a não olharmos para nós, para as nossas condiçoes, mas sim para aquele que pode mudar a vida de quem quer que seja, desde o mais simples ao mais abastado.

ATOS 4. O Espirito Santo transforma o nosso comportamento. Ficamos audaciosos e lutamos com ousadia contra as forças de satanás, tudo por causa da maravilhosa unção de Deus. "Ao verem a intrepidez de Pedro e João, sabendo que eram homens iletrados e indoutos, admiraram-se; e reconheceram que haviam estado com Jesus" At.4.13.

1. O Espirito Santo, nos da intrepidez para ir adiante, para falar com Deus e buscar sua presença.

2. Ele também nos da intrepidez para falarmos com os homens com muita coragem, ousadia e destemor.

3. Ele também nos da intrepidez contra satanás. Voce vai expulsa-lo, desafia-lo, amarra-lo e repreende-lo em nome do Senhor Jesus. Passamos a ser audaciosos no reino de Deus.

ATOS 5. O Espirito Santo, transforma nossa experiência; real, viva e com significados com Ele. Pedro tinha um novo amigo, que poderia ser invisível para os outros, mas extremamente real para ele. Ele disse: "Ora, nós somos testemunhas destes fatos, e bem assim o Espirito Santo que Deus outorgou aos que lhe obedecem" At.5.32.

A presença do Espirito Santo foi tão real na vida dos apostolos que quando eles foram ameaçados a não mais falar de Jesus, eles disseram: "...mais importa obedecer a Deus do que aos homens" At.5.28,29.

ATOS 6. O Espirito Santo transforma a nossa posição em Cristo. Passamos a ter posição privilegiada de autoridade, coragem e conquista. "E Estevão cheio de graça e poder, fazia prodígios e grandes sinais entre o povo, e não podiam resistir a sabedoria e ao Espirito com que falava" At.6.10. Cheios do Espirito Santo perdemos o medo daquilo que é oculto. O inimigo que nos intimidava, passa a ficar debaixo dos nossos pés. É um grande privilégio ter o Espirito Santo, como nosso melhor e grande amigo.

ATOS 7. O Espirito Santo nos ensina a olhar para cima. Ele muda a nossa visão. "Estevão cheio do Espirito Santo, fitou os olhos nos céus e viu a Glória de Deus e Jesus Cristo assentado a sua direita" At.7.55. Quando o Espirito Santo transforma a nossa visão, passamos a enxergar o sobrenatural. Passamos a viver por fé e não pelo que vemos. Começamos a ver o impossível acontecer. "Disse Eliseu a Geazi: Não temas, porque mais são os que estão conosco do que os que estão com eles. E orou Eliseu e disse: Senhor; peço-te que abra os olhos do moço para que ele veja, e o Senhor abriu seus olhos e viu; e eis que o monte estava cheio de cavalos e carros de fogo, em redor de Eliseu" II Rs. 6.16,17. O Espirito Santo aumenta nossa visão e passamos a enxergar além daquilo que a visão humana possa enxergar. Ele aumenta a nossa força e passamos a viver além da dor e do sofrimento.

ATOS 8. O Espirito Santo aumenta o nosso discernimento. Passamos a conhecer e a discernir a voz de Deus, porque é o Espirito Santo que nos da este discernimento. "E disse o Espirito a Felipe: Aproxima-te desse carro, e acompanha-o. Então Felipe correu" At. 8.29,30. Ele conhecia a voz de Deus. Quando o Espirito disse, Felipe respondeu imediatamente. Ele não quis perder a oportunidade. Nunca confie no seu proprio julgamento, permita que o Espirito Santo lhe de discernimento. Não podemos apenas ver com nossos olhos carnais, se não, nada entenderemos. É preciso abrir nossos olhos e ouvidos espirituais.

sábado, 3 de abril de 2010

TIRE SUAS DÚVIDAS.

DEFINIÇÃO DO SERMÃO TEMÁTICO:

Sermão Temático é aquele cujas divisões principais derivam do Tema, independente do Texto.

DEFINIÇÃO DO SERMÃO TEXTUAL:

Sermão Textual é aquele em que as divisões principais são derivadas de um Texto constituido de uma breve porção da Bíblia. Cada uma dessas divisões é usada como uma linha de sugestão, e o Texto fornece o Tema do Sermão.

DEFINIÇÃO DO SERMÃO EXPOSITIVO:

Serao Expositivo é aquele em que uma porção mais ou menos extensa da Escritura é interpretada em relação a um Tema ou assunto. A maior parte do material deste tipo de Sermão provém diretamente da passagem, e o esboço consiste em uma série de idéias progressivas que giram em torno de uma idéia principal.

O QUE É EXEGESE?

Exegese é o estudo cuidadoso e sistemático da Escritura para descobrir o significado original que foi pretendido. É a tentativa de interpretar conforme os destinatários originais devem te-la ouvido; de tentar descobrir qual era a intenção original das Palavras da Bíblia. Exegese no grego é "trazer para fora", ou seja, fazer conhecido algo que esta oculto a primeira vista num texto.

O QUE É HOMILÉTICA:

1. É o estudo dos fundamentos e princípios de como preparar e proferir sermões.
2. É a ciência cuja arte é a pregação e cujo resultado é o sermão.
3. É a arte do preparo e a pregação dos sermões.

O QUE É HERMENEUTICA?

Consiste num conjunto de regras que permitem determinar o sentido literal do objeto de estudo, no caso, a Bíblia.

O QUE É ESCATOLOGIA BÍBLICA.

O termo escatologia tem origem em duas palavras gregas "éschatos = ultimo e "logos" = estudo. A escatologia relata os acontecimentos finais e relata o retorno de Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.

sexta-feira, 2 de abril de 2010

CURIOSIDADES

OBSERVAÇÃO: A BÍBLIA NÃO DIZ QUE JUDAS SE ENFORCOU

"E ele, atirando para o templo as moedas de prata, retirou-se e foi-se enforcar”. (Mateus 27.5).

“Ora, este adquiriu um campo, com o galardão da iniqüidade e, precipitando-se, rebentou pelo meio, e todas as suas entranhas se derramaram”. (Atos 1.18).

Estes dois textos, ambos referindo-se a Judas Iscariotes, tem sido muito discutido no decorrer dos séculos. Muitos acham que existe contradição entre as duas narrativas, porém existem algumas teorias que descartam a possibilidade de contradição.

Existe a chamada “teoria da corda partida”. Há quem pense que Judas realmente enforcou-se, porém, na hora em que se enforcou à beira de um precipício, a corda quebrou-se e ele caiu lá embaixo. O que pode realmente ter acontecido é que ele saiu para se enforcar, porém, vendo um abismo diante de si, e estando desesperado, nem chegou a preocupar-se em preparar um laço de forca. Saltou no vazio e... Arrebentou-se!

PAIXÃO DE CRISTO


SEXTA FEIRA DA PAIXÃO.

Porque foi subindo como renovo perante Ele, e como raiz de uma terra seca; não tinha parecer nem formosura; e, olhando nós para Ele, nenhuma beleza víamos, para que o desejássemos. Era desprezado e o mais indigno entre os homens, homem de dores, experimentado nos trabalhos e, como um de quem os homens escondiam o rosto, era desprezado, e não fizemos dele caso algum. Verdadeiramente, Ele tomou sobre sí as nossas enfermidades e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputamos por aflito, ferido de Deus e oprimido.

Mas Ele foi ferido pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre Ele, e, pelas suas pisaduras, fomos sarados. Todos nós andamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo seu caminho, mas o Senhor fez cair sobre Ele a iniquidade de nós todos. Ele foi oprimido, mas não abriu a boca; como um cordeiro, foi levado ao matadouro e, como a ovelha muda perante os seus tosquiadores, Ele não abriu a boca. Da opressão e do juizo foi tirado; e quem contará o tempo da sua vida?

Porquanto foi cortado da terra dos viventes e pela transgressão do meu povo foi Ele atingido. E puseram a sua sepultura com os ímpios e com o rico, na sua morte; porquanto nunca fez injustiça, nem houve engano em sua boca. Todavia, ao Senhor agradou o moê-lo, fazendo-o enfermar; quando a sua alma se puser por expiação do pecado, verá a sua posteridade, prolongará os dias, e o bom prazer do Senhor prosperará na sua mão. O trabalho da sua alma Ele verá e ficará satisfeito; com o seu conhecimento, o meu servo, o justo, justificará a muitos, porque as iniquidades deles levará sobre sí.

(ISAIAS 53.2-11)

AS SETE PALAVRAS DE JESUS CRISTO NA CRUZ


Primeira palavra: "Pai, perdoai-os porque eles não sabem o que fazem." (Lucas, 23.34). Esta primeira frase foi dita em forma de prece para que Deus perdoasse a ignorância daqueles que o crucificavam: os soldados romanos e a multidão que o acusava. Esta prece reflete e confirma uma exortação anterior de Jesus, quando instava a seus seguidores que amassem e perdoassem seus inimigos (Mateus 5.44). Alguns manuscritos antigos omitem a menção àquela frase.

Segunda palavra: "Em verdade eu te digo que hoje estarás comigo no Paraíso." (Lucas 23.43). No momento em que Jesus é crucificado, dois ladrões também são, e suas cruzes se erguem ladeando a de Jesus. O ladrão à sua direita reconhece sua inocência, e pede que seja lembrado quando Jesus entrar em seu Reino, e Jesus lhe responde daquela forma. A versão original nos manuscritos gregos não traz pontuação, permitindo alguma confusão de sentidos pelo possível deslocamento da prosódia, gerando a alternativa "Em verdade, eu te digo (que) hoje, estarás comigo no Paraíso".

Terceira palavra: "Mulher, eis aí teu filho; olha aí a tua mãe." (João 19.26-27). Jesus, do alto da cruz, contempla os poucos amigos que o seguiram até o Calvário, e com aquelas palavras confia seu discípulo (cujo nome não é citado, mas crê-se que seja João) aos cuidados de sua mãe Maria, e ela a ele.

Quarta palavra: "Eli, Eli, lama sabachthani? (Deus, meu Deus, por que me abandonaste?)" (Mateus 27.46 e Marcos 15.34). Esta frase é uma que se destaca no conjunto, por ter sido a única registrada tanto por Marcos como por Mateus, e por ter sido transmitida a nós em uma outra linguagem, o aramaico. Expressa o sentimento de total abandono experimentado por Jesus em seu sacrifício e a necessidade de enfrentar a agonia sem qualquer valimento, nem mesmo o divino, a fim de cumprir seu desígnio e realizar sua obra de salvação.

Quinta palavra: "Tenho sede". (João 19.28) Aqui fica patente à natureza humana de Jesus, não era uma reclamação ou um pedido, mas uma afirmação clara de que Ele era de carne osso, tinha fome e sede como todos os humanos. E é por isso que Ele se compadece nós, pois Ele conhece todas as nossas dores (Hebreus 4.15 e 15).

Sexta palavra: "Está consumado" (João 19.30) Jesus declara que tudo o que devia ser feito foi cumprido, e é interpretada como um sinal de que a obra de salvação se tornará eficaz por intermédio de seu sacrifício em prol de todos os homens.

Sétima palavra: "Pai, em tuas mãos entrego meu espírito". (Lucas 23. 46). Terminada sua agonia, Jesus se abandona aos cuidados de seu Pai e, assim fazendo, expira.